Friday, March 07, 2008

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."

Acabei ontem de ler o "Ensaio sobre a Cegueira" de José Saramago.



A minha imagem do escritor era que não passava de "chato, enfadonho, longo e assustado com pontos finais". Bastou que me dissessem a premissa deste livro e dexei de ser parvo. Fui a uma livraria e comprei-o sem olhar para qualquer outra capa.

Li, e adorei mesmo.

A história é basicamente sobre um dia em que de um momento para o outro, sem explicação, as pessoas começam a ficar cegas. Assustado e medroso, o Ministério começa a fechar os cegos todos em locais abandonados para protecção dos que ainda vêem, tentando parar a propagação da "cegueira-branca".

Saramago escreve com uma dureza, uma frieza, que faz parecer que tem menos 80 anos do que realmente têm. Fala com calma, com clareza e não é parvo nenhum. O leitor mais perspicaz vai-se aperceber que a "cegueira" não é só de olhar...

Uma metáfora enorme e bem escrita sobre como vivemos e como nos "vemos", como "olhamos", escrito com uma cegueira literária espectacular, porque acreditem em mim, pela maneira como ele escreve vocês sentem-se mesmo cegos. Ele é brilhante.

Para os interessados e amantes do livro, deixem-me dizer-vos que Fernando Meirelles, realizador de "Cidade de Deus" e "O Fiel Jardineiro", está na fase de montagem final da adaptação cinematográfica. Não sei como vai passar a sujidade, a crueldade e as cenas mais duras e violentas (leiam e percebem) mas estou bastante ansioso por saber como vais sair, porque ele já deu provas de ser um grande realizador. O filme conta com Julianne Moore e Mark Rufallo em dois dos papeis principais.



Para aqueles que querem seguir o seu processo de trabalho com notas saidas directamente de si próprio, ele tem mantido um blog desde o inicio do projecto.

http://blogdeblindness.blogspot.com/

Sempre honesto é uma bela visita guiada pelo mundo dos basteadores do cinema. Dúvidas e problemas de um realizador de primeira.

Um excelente e obrigatório exemplo de boa literatura. Obrigatório em todas as prateleiras e mesinhas de cabeceira por esse Portugal fora.

hug,
gui

7 comments:

iu know u said...

puto... eu até te curtia e tinha o ORGULHO de dizer aos meus animais escolares : " aquele, o guilherme, foi meu aluno ainda lhe ensinei umas cenas..." mas puto... JOSÉ SARAMAGO?????!!!!! descestes.... ui... rasteirinho... qualquer dia ainda lês Camões o Florbela Espanca ( aarrrrghhhhh!!!!). Eu sei que devemos experimentar algumas cenas na vida ( não todas, para deixar aquela ideia de inexperiente...) mas JOSÉ SARAMAGO???!!! ( vai levar nas nalgas deve ser melhor ( aqui está uma das q devemos deixar por experimentar...))... ^nnnnnaããããããa tu taz a mancar ca gente, tu nem sabes ler... TU LÊS-TE ESSA ... olha puto as melhoras.
a proposito essa foto é do filme? é que os mamilos da gaja tão em braile. LOLOl
fica bem e bebe um balde de escarretas de pessoal constipado... e cego.

adeus

P.S. eu odeio com H grande, O Comuna español q diz q é português e tem uma mulher boa que toda a gente daquela ilha papou, pq ele deve ser só com os olhinhos. "cabron, corno, besunta tu cola con mantequilla.

iu know u said...

dia 11 de abril actuas onde?

Gui said...

Estava a espera de uma critica à escrita do Saramago, mas só vi falar de mamilos e mulheres boas... (A piada dos mamilos até me fez rir)

Tem piada porque esse comment podia ter sido escrito por mim há uns meses atrás (sem tantas reticencias) mas li o livro e agora mudei...

Não só tem uma escrita jovem e corrida, rápida e bem feita, como os temas e as situações tão violentas e desconfortáveis como podem ser românticas e leves.

"O memorial do convento" não é exemplo para ninguém.

Dez euros é quanto deve custar o "Ensaio sobre a Cegueira". =) Vale a pena gastá-los...

A agenda de abril no final de março está disponivel! Por bem menos de 10 euros...

Uma braço do ex-aluno e conselheiro de livros
gui

bill said...

Bem... parece que é desta que me vou ler Saramago.

Izis said...

AMEEEEEEEEEI. sim,amei com este entusiasmo todo. eu ja gostava de saramago, li as intermitencias da morte e o ensaio sobre a lucidez (muito bom tb), mas este supera qq um. e depois de ler disse a uma amiga (ela é testemunha!), q era uma grande ideia adaptar o filme a cinema. eis senão quando dali a 2 ou 3 meses, soubemos que o meirelles tinha tido a mesma ideia e que a tinha posto em prática. :O SIM SENHORAS. tou ansiosa.

Izis said...

*adaptar o livro a cinema. ganei-me.

Gui said...

Curtiste do blog?

Não é espectacular?

Tem imensos spoilers, mas acho que é uma valente aula de cinema! =) eu a esta passo... lol

bjinh,
gui
(ramboiablog.blogspot.com)