Monday, September 20, 2010

Sócrates quer expulsar Caloiros de território Português

CALOIROCAUSTO/GF – Apanhando tudo e todos de surpresa, o primeiro-ministro português José Sócrates iniciou este fim-de-semana as acções políticas e judiciais necessárias para expulsar todos os caloiros presentes actualmente em território português.
Sob o pretexto de que “não contribuem para a sociedade portuguesa, apenas bebem demasiado vinho rasca e depois cantam músicas de Faculdades”, José Sócrates iniciou assim uma polémica política de segurança nacional. Esta expulsão de caloiros – uma comunidade há muito presente em Portugal, caracterizada pelos seus braços e caras escritos a caneta de feltro e a sua mobilidade em grupo pelo Bairro Alto – já despoletou a reacção de várias instituições humanitárias que vieram em defesa dos caloiros, apelando à calma, à compreensão e ao uso de menos palavrões em manifestações. Enquanto que para muitos portugueses o caloiro é simplesmente um parasita da sociedade sem qualquer vontade de se integrar, para outros é um ser humano com uma cultura e tradição de projecção de vómito que se devia respeitar e tentar compreender. Para começar a recolher e deportar caloiros, a GNR já visita com regularidade bares de faculdades, a Cidade Universitária e as Docas às sextas-feiras à noite.

As seen on O Indesmentível.

3 comments:

MK said...

haha xD lindo!
mas tb não pode ser assim que eu andei a trabalhar para eles andarem a beber o vinho rasca.

Gui said...

Diz isso muitas vezes na internet e pode ser que o Sócrates te meta numa carrinha para a Roménia, diz... Vá lá que a parte do vinho rasca faz de ti patriótica. Se fosse vodka estavas lixada. ;)

MK said...

Epá, Roménia não!
Se ele me garantir que me manda assim para outro sítio qq que eu considere interessante, assim como Praga, Berlim ou assim, prometo que irei ponderar dizer isto muitas vezes na internet porque se não deixa lá.
Hmmm vodka... isso foi a semana passada. Mas aí já eles pagavam! haha xD